23 de janeiro de 2010

E então eu quis me conformar.


Talvez assim eu consiga dizer um terço do meu acúmulo. Cada palavra e acento, cada minuto que pensei em mergulhar de vez, e seja lá o que Deus quiser. Agora vou derramar cada luar e bancos de praça, cada céu aberto que tentei pintar, só pra fazer dali o meu abrigo. Quem sabe então eu não esqueça de usar o pára-quedas, e perceba a altura que o meu coração é capaz de suportar. Ah! Mas quem te mandou tanta coragem? Assim, vou lamentar os seus arrependimentos, vou contar segundo por segundo, e desenhar cada canção que você me fez bater as mãos. Coração, porque me desafias tanto? (...) Se no final, o pouco que te resta sou eu.
E pensar que o meu excesso nunca foi tão limite, e a minha razão tão extinção. Eu resolvi deixar o sol entrar e banhar o meu corpo. Decidi decifrar suas razões, numa tentativa insana de não me perder. Seria inútil pensar que é por você que vivo, se no entanto queres viver em tantas, menos por minha vida. Então deixe-me dizer. Quero desabrochar minha represa de letras, e navegar sobre as suas batidas. Eu posso descrever às vezes em que te procurei, tentando te acordar de sonhos. Eu tentei te explicar das arestas que o destino possui, porém você nem me olhou. Se tivesse aberto os olhos em uma daquelas noites, veria a tempestade que caía. Mas você se foi. Inúmeras vezes você fugiu embalado nas águas que limpavam as ruas. Você deve saber muito sobre mim. Sim, você deve ser uma espécie de teste infinito. Então eu deixo o sol me secar dos banhos de chuva que levei. Eu deixo as janelas abertas, e finjo que sou melhor do que você.
No fundo, queria que fosse verdade o que andas espalhando por aí. Diz que tem força, e que tem malandragem. Diz ser grande, um coração racional. Mas te faltam algumas aulas sobre o que é amar alguém. Parece que você esquece, ou talvez faça de propósito. A verdade é que eu sempre me afogo, e no último instante você faz questão de me salvar sorrindo.
Eu não sei navegar suas ondas. Não sei acompanhar sua dança. Também nem me importo em tentar mais uma vez, ou melhor, eu já decidi. Vou deixar o calor secar a minha alma.

6 comentários:

Y a s h a disse...

Deixa o calor secar teu corpo, nunca a alma, flor. Depois mergulha de novo, se joga de cara. Descobri que é essa receita: Você quebra a cara, chora, grita, esperneia, briga com quem fala em 'para sempre', mas no fim, depois de deixar sair todas as impurezas, nós vamos para a rua e deixamos a luz nos invadir e começamos tudo de novo...

Mergulha, flor. Agora mergulha fundo, sem medo, sem pensar muito no amanhã, sem contar as pedras do caminho, sem nem notar se o telefone toca ou não. Mergulha e nada. Se o mar agitar, você sobe, procura um refúgio até que ele se acalme, mas não deixe nunca de mergulhar mais uma vez. Pode ser que dessa vez você não encontre caravelas que te queimem, mas sim um lindo cardume que te acompanhe.

Lembre que ninguém quer refletir seu sorriso, sua alegria, nem nada que venha de você. Eles querem ser a causa. Ser o problema e a solução. Você é diferente dos outros, de todos eles. Mas isso também te faz ser muito amada. Além de tudo, você é o que eles não conseguem ser. E eles te admiram por isso. Você lhes repreende quando eles fazem algo que vai contra o que você acredita. E eles fazem o mesmo, e ficam furiosos. Depois eles te amam mais, no meio de uma conversa qualquer sobre suas vidas.

“Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é”

Lindo texto. Sublime. Adorei mesmo *-*

Ps.: Vamos marcar um dia sim, vizinha! :)

Bruna Trindade disse...

Oi.
Obrigada por comentar meu blog! Será sempre bem-vinda lá.

Menina, que texto ótimo! Tudo que eu queria escrever, e não conseguia. E você foi muito além: proporcionou ao leitor um misto de sensações.Bom, eu também tô tentando navegar nessas supostas ondas, o único problema é que eu...Não sei nadar.

Seu blog é um charme! Voltarei mais vezes. Amo ler quem sabe impressionar só com palavras.

Abraço.

Marrentinha... disse...

"Seria inútil pensar que é por você que vivo, se no entanto queres viver em tantas, menos por minha vida."

Falou tudo aqui... está de parabéns minha flor... Acho que estou me encaixando no mesmo momento que o seu... E brigada pela visinha viu... beijinhos linda

Beka disse...

Nossa Paulinha, AMEI o novo visual daqui sabia? (LLL) e esse post foi tão intenso, como você :)

"A verdade é que eu sempre me afogo, e no último instante você faz questão de me salvar sorrindo. "

PERFEITO! *-------------------*

ps: As vezes é bom não saber navegar em determinadas ondas, como tambem é legal não saber os passos de dança...sabe pq? pq ai te instiga ainda mais! Eu que o diga :*

Janete Andrade disse...

q texto mais belo hein menina? ah coração... como eu gostaria de poder estar na sintonia do meu, acompanhar o compasso, tocar a vida no mesmo tom das tuas batucadas, mas n tem jeito há smp um desencontro...

;*

Y a s h a disse...

Mentira é que eu demorei tanto para ver seu recado dizendo que estaria em Olinda. ¬¬'
Fui a Olinda todos os dias, com certeza daria para termos nos encontrado. :/

Mas, e aí, gostou?
Gostar foi pouco para mim *-*
O melhor ano, com certeza.