6 de janeiro de 2010

E vivo


Faço jus ao meu destino perdido, faço laços com o amanhecer. Inventei diversas formas de se viver, e vivo antes que meu corpo morra. E choro antes que chores por um tempo que já passou. Choro antes que vá, e leve toda aquela mistura de lucidez que te entreguei, me inebriando como sempre foi, e há de ser.

Fiz um caminho de areia que me leva até a liberdade. Posso sonhar, desmontar e correr o quanto quiser. Tenho quadros dos cenários que me fazem sorrir. São aquelas visões que me lembram você, e que me fazem perceber o quanto é duro viver no seu mundo claro.

E vivo. Entre minhas maneiras, vivo intensamente cada gesto. Percebo que vezes o tempo parece congelar, outras disparar, me fazendo voar de tanta satisfação por pertencer a quem deveria.

4 comentários:

entremares disse...

Não sei se existe esse destino perdido. Provavelmente não. Mas existe o caminho... esse caminho que cada um de nós desenha...

Acredito, sim.

Tudo de bom para ti.
Rolando

Beka disse...

Nossa super lindo esse texto, nos faz pensar a questionar o destino, ou sei la.. enfim apenas vivo o meu destino na esperança de que, seja lá onde este caminho der, o final vai ser sempre o melhor possível, não para mim, mas para a minha história, e independente do espetáculo, ou do fracasso, das lágrimas que vão cair, ou das gargalhadas que vão ecoar, no final eu vou estar ali feliz por tudo que fiz, e resignado com o próximo passo que vou dar. Acho que este é o encanto da vida. Viver mesmo sabe? adoro teus textos paulinha, e tu sim tem talento! ;)

daisy disse...

Só uma pessoa tão linda e intensa como vc poderia expor sentimentos tão fortes assim, amei me fez refletir...te adoro.

Y a s h a disse...

Viva. Viva sim. Viva à sua maneira. Voe alto, flor. Voe bonito. O cenário está aí só esperando por você, para te fazer sorrir na hora em que quiser sorrir. :*