23 de maio de 2010

Ilusão é uma flor

Primaveras já vi passar mais de dez. Agora, esperar me transborda, não cabe em mim. Ainda resta um pouco de final e acenos, apertos de mão ou seja lá como for. Na verdade sempre resta alguma coisa.

Em certos casos é mais sensato fechar os olhos. Iludir-se às vezes faz bem. E francamente, estou tão além que mal posso ouvir você. Eu não sei nada sobre o amor. A gente não escolhe, não enxerga, não diz não. Então amar é desencontrar, ou desenhar um caminho que na verdade não se sabe aonde vai dar. Mentira! Eu sei pelo menos metade de um - terço. O amor me desconecta de mim. Eu sempre me perco, deveria me sentir em casa.


Tem jeito não, asas eu tenho. É que hoje voar vai me cansar. Afinal de contas, é preciso bem mais que vontade.

3 comentários:

Marrentinha... disse...

Seu texto me tocou tanto hoje... belas palavras... beijinhos

Y a s h a disse...

Flor! Estou voltando... Retornando à civilização! Haha. Desculpa tantos comentários sem resposta. Estava sem computador e sem nenhum tempinho extra. Mas estou voltando, aos poucos... :)

Seu texto só me lembrou o Los Hermanos:
"Primavera se foi e com ela meu amor. Quem me dera poder consertar tudo que eu fiz. O perfume que andava com o vento pelo ar. Primavera soprando pr'um caminho mais feliz (...) Primavera se foi, e com ela essa dor se alojou no meu peito devagar..."

E te digo, o mais difícil é ter as asas. Vai lá, pula! :*

Pérola Anjos disse...

Quanto mais eu vou
Mais eu voo...

Estava passeando e encontrei o seu blog, belas palavras!
Desculpa a invasão! Voltarei mais vezes, se não for inconveniente.

Beijo doce!