9 de setembro de 2009

Hoje eu descanso nos braços da sua saudade

Eram piadas sem graça que eu escutava repetidas vezes. Era um brilho nos olhos, torradas fumaçando como uma locomotiva a vapor. Os dias pareciam diferentes, talvez pelos ares de dezembro, ou pelos passeios no início da manhã. Foram os mais sonolentos e melhores banhos de sol da minha vida. Não tem como resumir. É grande, leve demais.
Hoje os braços da sua saudade me trouxeram até aqui. Meus pés deixaram levemente o chão e quase pude ver sua luz. O sorriso mais sereno, o tempo encantando que custou a terminar. Não é difícil perceber que sem você, o mundo fica mais sozinho. As canções de ninar perdem o tom e vestidos longos já não caem tão bem.
Não são palavras tristes, são lembranças de um sorriso sincero, que me encantou desde do meu primeiro segundo de vida. Justo hoje sua ausência me mostrou um-terço do seu jardim e pude entender que a saudade que trago comigo,me faz enxergar suas flores. Trouxe a certeza de que você estará guardada em minha memória, enquanto existir vida dentro de mim.

Minha avó...
...minha amiga.

5 comentários:

Beka disse...

Suas palavras me tocaram, palavras lindas e singelas. Foi extremamente profundo o que vc acabou de me transmitir,o pra sempre nunca acaba. E tenho certeza que sua vó sente muito orgulho de vc, sim sente, vc tem um dos melhores corações que eu tive a honra de conhecer. <3
te cuida ta? >.<

Vanessa M. disse...

Segundo blog que leio e fala da avó. Queria mesmo ter uma relação assim com a minha, não tenho. é tudo muito cordial.
Sua vó, onde estiver, vai tá olhando por você. Com esse amor que você tem, não tenho dúvidas.
Beijo

Franzé disse...

Seu mundo não é pequeno. É grande. "Big world"!!!! Todos nós somos um universo.

Prazer em conhecê-la.
Bjos.

Y a s h a disse...

Primeira vez que venho aqui e você já me toca lá no fundo, lá no meu ponto fraco, no meu seiláoque que vibra, acelera, esquenta e faz um cisco entrar no meu olho ao mesmo tempo ao ler alguma coisa assim, tão eu, tão tudo a ver com que eu sinto todos os dias, uns mais que outros, mas sempre ali, guardado.
Vi o comentário da Vanessa aí em cima e, provavelmente, esse outro blog em que ela fala é o meu.
Dia 28 de setembro faz 10 meses que perdi minha avó, e é o primeiro comentário seu que vejo no Labirinto, mas se um dia você for dar um passeio por lá vai encontrar muita coisa, a cada dia 28 ou a cada dia que a saudade apertava mais, eu escrevia pra deixar ela sair, pra tentar aliviar.

E uma coisa é certa: Pensa que agora ela está no teu mais intimo, "no coração do teu coração". Está no esconderijo mais profundo da tua alma, e te salva todos os dias, te protege e te dá beleza quando o mundo está em desacordo.

Obrigada mesmo pela visita, pelo comentário e um tanto mais por eu ter encontrado esse lugar. Suas palavras fizeram valer meu dia. :)

Janete Andrade disse...

e penso q ausência é tb uma maneira de estar presente qdo voamos nos braços da saudade *-*

;*